O baby nasceu! É lindo! Gordo, pesa uns 2 kg (duzentas páginas). A médica (orientadora) Denise está encantada com o que se pode chamar obra completa. Envolvida com a criança, assim como nós, lambe a cria e dispara elogios. A empolgação de estar com algo novo nos braços, renova nossas forças, estamos cada vez mais confiantes que ele vai dar certo.

A maior parte do tempo, tentamos manter o pé no chão e não sonhar um futuro glorioso para ele, como qualquer um tem defeito e precisa de melhorias, problemas sanados com o tempo. A assistente da médica, com um olhar clínico identifica mais defeitos que nós, eles são pequenos, mas fazem muita diferença, nos comprometemos a melhorá-lo.

No começo do ano quando ele surgiu ficamos encantadas com a ideia. E como não sonhar com um futuro perfeito para ele? Tantas ideias, discussões aperfeiçoamentos, fomos buscar especialistas para que ele fosse o melhor de todas nós.

Agora que ele está aí ganhando o mundo posso dizer com muito orgulho que ele é fruto de muito esforço, determinação, brigas, risadas, passeios e recheado de muito conhecimento. Minhas parceiras não podiam ser melhores, com dedicação infinita deram carinho e acrescentaram cada palavra meticulosamente para que nada desse errado. Ah, o baby tem nome chama Riso Aberto.

Denise, Fernanda, Juliana, Simone, Thais, acredito que esse seja o sentimento que nós temos em relação ao trabalho. A trajetória que fizemos para chegar até aqui nos fez crescer e amadurecer, principalmente na parte do trabalhar em grupo, com dificuldade deixamos as opiniões pessoais de lado pensando no bem estar e no melhor para o grupo e o trabalho.

Para não perder a sequência das definições do riso… O riso está na simplicidade, nas pequenas coisas que produzem enormes gargalhadas, na sutileza das surpresas.

Por Paula Matos (Palhaça Mercedes)

Anúncios